3 de set de 2011

Poetisa de 92 é patronesse da XV Feira Pan-Amazônica do Livro

    A 15ª edição da Feira Pan-Amazônica do Livro foi aberta na noite de sexta-feria, 2, com movimento ainda fraco de vendas. Mas a expectativa de movimentação financeira este ano é de cerca de R$ 12 milhões em negócios.
    A abertura solene da Feira foi realizada no auditório do Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, onde o evento acontece até o dia 11. A expectativa da organização é de que 400 mil pessoas passem pelos 200 estandes divididos por 600 expositores durante os 10 dias de evento. Entre eles, está o Clube do Livro, gerenciado por Marcos Araújo, que participa da feira todos os anos. “Acredito que este ano vamos superar as vendas do ano passado. O que mais vendemos aqui é a literatura juvenil, e até mesmo gibis. É o que chama atenção por aqui”.
ITÁLIA
    A reprodução em tamanho real de um típico café italiano é uma das atrações da Feira. A estrutura foi construída na parte central do ambiente onde estão localizados os estandes da XV Feira Pan-Amazônica do Livro.
    Esta edição da feira tem a Itália como país homenageado e a poetisa Dulcineia Paraense – que aos 92 anos de idade desembarcou em Belém especialmente para o evento – como patronesse. A autora foi lembrada durante o discurso de abertura da feira pelo titular da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), Paulo Chaves, que leu um poema escrito por Dulcineia no mesmo dia em que ele nasceu. “Uma artista com tanto talento e que ainda leva o Estado que tanto ama no próprio nome realmente merece esta homenagem”, discursou, apontando para a autora, que o observava da plateia. Emocionada, Ducineia ficou de pé e foi ovacionada pelo público.
Com informações do Diário do Pará

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!