21 de dez de 2010

Vereador é preso por não pagar pensão alimentícia

    O vereador João Gomes da Cruz Filho (PDT), o conhecido João Lousa, foi preso às 06h20 de ontem (20), no povoado Arraias, município de Ribamar Fiquene. O mandado de prisão contra o parlamentar fiquenense foi expedido em agosto deste ano, pelo juiz Gustavo Schwinnger, da comarca de Guaramirim, Santa Catarina, através de carta precatória, sob acusação de não pagar pensão alimentícia.
    Em agosto, a juíza Ana Lucrecia Bezerra Sodré Reis, da Comarca de Montes, determinou pelo cumprimento do mandado de prisão de João Lousa, que na época recebeu ordem de prisão na Câmara Municipal de Ribamar Fiquene, mas conseguiu fugir pela porta dos fundos do prédio da Câmara, enganando a boa fé do oficial de justiça.
    Segundo informações da Justiça, os valores devidos pelo vereador João Lousa referem-se a mais de 10 anos de pensão alimentícia em atraso, no total de R$ 60 mil. O processo foi instaurado pela Vara da Família de Guaramirim, em Santa Catarina.
    O vereador estava foragido da Justiça há mais de três meses. Nos últimos dias, sempre era visto transitando normalmente no povoado Arraias, inclusive reunindo-se com correligionários políticos. Também há informações de que no início deste mês de dezembro João Lousa teria visitado a Câmara Municipal para tratar do pedido de renovação da licença por mais trinta dias para cuidar de assuntos particulares, conforme lhe é facultado pelo regimento interno do legislativo municipal de Ribamar Fiquene.
    O período de licença dos 90 dias terminou no dia 10 de dezembro. E, segundo informações, o regimento interno da Câmara prevê o pedido por mais 30 dias. Caso o parlamentar não volte a tomar assento no cargo, é cassado.
    A partir de informações à Justiça sobre as constantes visitas do vereador na comunidade de Arraias, ontem, os oficiais de justiça Erivelton Borges, da Promotoria de Justiça, e Gesrael Albuquerque, do Juizado de Direito, pela manhã, em uma residência no povoado, deram voz de prisão ao vereador João Gomes da Cruz Filho – popular João Lousa – conduzindo-o à delegacia de Montes Altos, termo judiciário de Ribamar Fiquene.
Por Marcelo Rodrigues de O Progresso

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!