17 de mar de 2011

Pedetista pede cabeça de jornalista na tribuna da Assembleia Legislativa

O deputado estadual Carlos Amorim
    Na sessão ordinária da Assembleia Legislativa desta quinta-feira, 17, o deputado estadual  Carlos Amorim (PDT), insuflou a lei da mordaça na Casa. Em pronunciamento na tribuna o deputado delatou um jornalista, supostamente da diretoria de comunicação do Legislativo,  que o abordou de "forma desrespeitosa" para questioná-lo sobre sua postura em relação à greve dos professores.
    Líder da bancada do PDT, Amorim foi contra a aprovação de requerimento para discutir a educação do estado pelo parlamento.
    Não habituado com críticas, o pedetista implicitamente "pediu a cabeça" do profissional, conforme jargão jornalístico, ao presidente da Casa, deputado Arnaldo Melo. Corporativo, Melo adiantou que providências seriam tomadas, com base em uma constitucionalidade reservada exclusivamente ao parlamentar. Ao menos na Casa do Povo essa é ideia dominante.
    A reação em bloco veio dos deputados Marcelo Tavares (PSB), líder da oposição, e Eliziane Gama (PPS). Ambos se solidarizaram com o jornalista sentenciado por Carlinhos Amorim. Tavares inclusive chegou a dizer que não aceitaria retaliações contra a liberdade de imprensa.
   De esguelha mesmo entrou o deputado estadual Manoel Ribeiro (PTB). Rude como sempre, Ribeiro com postura de jagunço revelou aos telespectadores, internautas e membros da galeria que era "dono" de quatro emissoras de televisão e 20 de rádio. Tanto as TVs como as rádios são fruto de concessões públicas.
    Para ficar "dono", Ribeiro foi muleta, durante longos dez anos como presidente do Legislativo, de um governo manchado por corrupções e desmandos administrativos. Contou também com a ajuda do extinto Banco do Estado do Maranhão, BEM, que lhe emprestou dinheiro à rodo para ele empreender no fracasso, vide suas fazendas de soja entregues aos bancos por descumprimento de compromissos financeiros.
    "Nas minhas empresas não aceito isso", vociferou o ex-vereador nascido em Arari. Em réplica à deputada Eliziane Gama, o deputado que conseguiu se manter como suplente durante toda a legislativa passada graças ao jeitinho de sua turma, soltou sua ficha: "Sei ser mal educado". Isso, só tem dúvidas seus eleitores incautos. Viva Educação do melhor governo da vida deles!.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!