6 de mar de 2011

Risco de desabamento reduz público nas arquibancadas na passarela do Samba

    Com o cisco da bajulação e a trave da vaidade nos olhos o prefeito de São Luís, João Castelo (PSDB), mesmo presente na Passarela do Samba para prestigiar a festa, como destaca ad nauseam o texto da Secom, não se deu conta do que acontecia à sua frente.
    Por volta das 22 horas de sábado,5, segundo dia de desfile dos blocos tradicionais, a bilheteria encerrou a distribuição do ingressos gratuitos, como tanto ressaltam os organizadores, de acesso às arquibancadas.
    Na portões de entrada uma fila de pessoas com bilhetes na mão eram barradas por seguranças e guardas municipais. "Não pode mais entrar, pois a estrutura não suporta", avisavam os seguranças.
    Os próprios explicavam às pessoas a insegurança das arquibancadas: "Devido ao estado de conservação do material - madeira de compensado - a medida adotada foi reduzir o acesso do público".  Pos-e então em prática o revesamento: conforme saíam determinado número de pessoas, outras entravam.
    Enquanto isso, Castelo no camarote saboreava seu scotch, assistindo ao maior espetáculo da terra, conforme olhos dos organizadores.
 Na bilheteria não há controle sobre o número de ingressos disponíveis. É até o dono entender que tá bom... e boi não lambe.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!