25 de abr de 2011

Família de desaparecidos ignoram site de busca do Ministério da Justiça

Apenas quatro nomes de desaparecidos no Maranhão constam no cadastro do site de desaparecidos do Ministério da Justiça. A mais recente inclusão data de novembro de 2008. Todos os casos do cadastro são de crianças e adolescente. Registra o notório desaparecimento do menino Ícaro Ferreira Rodrigues com apenas dois meses no bairro da Liberdade, em São Luís. Foi a própria mãe do desaparecido que registrou o caso junto à DPCA, Departamento de Proteção à Criança e ao Adolescente, origem de todos os dados.
    O site tem objetivo de contribuir com a localização de desaparecidas, dentre elas crianças e adolescentes. Sua gestão é compartilhada entre ONGs, Conselhos Tutelares e outras entidades que constituem a  Rede Nacional de Identificação e Localização de Crianças e Adolescentes Desaparecidos – ReDESAP. Em 12 estados do país são capacitados atores. A defasagem e número reduzido de registros na ferramenta é igual no Brasil inteiro.
    O Ministério da Justiça é o órgão rsponsável pela base de dados sobre desaparecimento de pessoas. Desde fevereiro de 2010 foi criado o Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas com o objetivo de ampliar a busca e localização de crianças, adolescentes e adultos desaparecidos. A alimentação do Cadastro acontece de forma descentralizada pelos parceiros da ReDESAP, que são habilitados para tal. Ao serem inseridas, as informações serão atualizadas simultaneamente no site www.desaparecidos.mj.gov.br.
    Desde o início de abril, uma lei aprovada pela Câmara Municipal de São Luís, de autoria do vereador Ivaldo Rodrigues (PDT), obriga donos de bares e estabelecimentos de diversas a afixar cartazes de crianças e adolescentes desaparecidos.
    Pela capital do Maranhão, porém, o que se flagra são iniciativas isoladas com suportes bastante inusitados, mas estratégicos. No mural do Terminal Rodoviário de São Luís -que ja´se chamou Kiola, genitora do senador, e Castelo deu o nome do ex-governador Luiz Rocha, mas nunguém sabe- cartazes indicam que não crianças e adolescentes são os procurados por familiares. Terminais da integração também servem como pontos de divulgação. Muitos dos casos são de deficientes mentais.
Os cadastrados no site www.desaparecidos.mj.gov.br
Nome: Alan Carlos Fernandes Macedo
Data de Nascimento: 05/08/1989
Data de Inclusão: 12/03/2004
Desaparecimento: 26/06/2003
Local: Sao Luís







Nome: Analeide de Jesus Almeida Costa
Data de Nascimento: 01/12/1988
Data de Inclusão: 25/11/2004
Desaparecimento: 15/08/2004
Local: Sao Joao Batista







Nome: Ícaro Ferreira Rodrigues
Data de Nascimento: 23/07/2008
Data de Inclusão: 14/11/2008
Desaparecimento: 04/09/2008
Local: Sao Luís





Nome: Jordana Oliveira Silva
Data de Nascimento: 05/06/2002
Data de Inclusão: 26/01/2006
Desaparecimento: 23/06/2004
Local: Sao Luís



0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!