14 de abr de 2011

Metalúrgicos cruzam os braços na Alumar

    Centenas de trabalhadores estão de braços cruzados ao longo do acostamento dos primeiros 17 km da BR-135 desde às 7h da manhã desta quinta-feira, 14. Liderados pelo Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de São Luís – Sindmetal, os funcionários da Alumar e outras empresas menores, acabaram de paralisar as atividades em virtude do impasse ocasionado pelo Sindicato Patronal em não querer repassar um reajuste salarial com ganho real, ou seja, com índices acima da inflação do período que foi de 6,36%.
    De acordo com representantes do Sindmetal, a manifestação é o primeiro ato da greve da categoria deflagrada nesta quinta-feira (14), e será por tempo indeterminado.
    Joel Nascimento, presidente do Sindmetal, diz que além da questão salarial, os trabalhadores reivindicam saúde e segurança no ambiente de trabalho, fim do assédio moral e das terceirizações precárias/fraudulentas, redução da jornada de trabalho e para os trabalhadores da Alumar, o advento de um novo turno de trabalho que valorize as folgas e a vida em toda a sua plenitude.
    Nos últimos 10 anos, o reajuste salarial dos trabalhadores Metalúrgicos de São Luís, ficou 127,21% abaixo do reajuste do salário mínimo no mesmo período. Uma super-desvalorização. Por outro lado, empresas como a Alumar - por exemplo - tiveram no mesmo período, recordes de produção e lucro, tanto que não pouparam investimentos privados e públicos (BNDES) na expansão da Refinaria, inaugurada em 2010.
Com informações da Assessoria de imprensa do Sindmetal

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!