18 de ago de 2011

Sindicalista denuncia que em 74 municípios do Maranhão não há um policial civil

    A cidade de Pirapemas, no Maranhão,  está submetida ao total abandono pelo poder público estadual em relação à segurança pública.  A presença da polícia civil é inexpressiva. Conta com apenas um investigador policial, que nada podendo fazer sozinho, se torna uma mera figura decorativa a espera da aposentadoria. Com 27 anos na atividade aguarda pela aposentadoria e ingressar em outra fase de tormento e abandono.
    Segundo o censo 2010, Pirapemas conta com 17 mil habitantes. A situação do município não é ímpar no estado. Em 74 municípios maranhenses não há um policial civil nas delegacias.
    A denúncia é do presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Maranhão, Sinpol-MA, Amon Jessen, que também é investigar policial. Policiais civis, incluindo delegados, estão em greve no estado desde o dia 2 de junho. O governo do estado promete melhorias salarias para a categoria a partir de janeiro do próximo ano. em nota a Secretaria de Segurança Pública se compromete em fazer investimentos estruturais nas condições de trabalho dos policiais civios e delegados dentro do cronograma de ações previsto para este ano.
    Segundo o sindicalista em texto publicado no site do Sinpol-MA, a delegacia policial que possui uma estrutura física razoável, não tem sequer um computador. Os procedimentos são feitos em uma lan house da cidade. No município não existe uma viatura de polícia. Não há também carcereiro. A orientação é em caso de flgrande conduzir o acusado até a regional de Itapecuru.
    Amon Jessen informa ainda que nesta quinta-feira, 18, um funcionário teceirizado respondia pela delegacia. Ele faz as vezes de escrivão ad hoc e investigador ad hoc, na ausência do policial civil, que hoje estava de folga em São Luís, onde reside.
   

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!