9 de dez de 2010

Socorro Waquim sucateia Timon e consórcio de municípios da região

    A prefeita de Timon, Socorro Waquim (PMDB), está promovendo demissões em série no município neste final da metade do seu segundo mandato. Com a cidade tomada por lixo, buracos, a Prefeitura acumula três meses de atraso dos salários do funcionalismo.
    Os postos de atendimentos do PSF (Programa de Saúde da Família) espalhados nos bairros e na zona rural estão, na sua maioria, fechados. Os que permanecem abertos não têm medicamentos e nem médico.
    O secretário de Saúde, o advogado Raimundo Neiva Moreira Neto, o Neto Neiva, é acusado de ausente. Não visita os postos de saúde e se mostra alheio aos problemas do órgão que dirige.O Ministério Público resolveu intervir e está monitorando a saúde no município de Timon.
    Na educação os salários dos professores efetivos e contratados também estão atrasados. A secretária de Educação, Suely Almeida Mendes, é irmã da prefeita. Durante a campanha a folha de pagamento da secretaria foi inchada com a inclusão de cabos eleitorais do Prof. Sétimo (PMDB), deputado federal reeleito e marido da prefeita Socorro Waquim.
Candidata da FAMEM
    A prefeita de Timon se apresenta no momento como candidata à presidência da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão,  Famem. Ex-dirigentes de uma entidade chamada Cinpra Cocais, consórcio de municipios da região, revelaram que o órgão está praticamente paralisado. O consórcio de municipios que congregava nove prefeituras objetiva desenvolver ações na área da produção agrícolas, através de propecção de projetos junto ao governo Federal e órgãos afins.
    Sob o comando da prefeita Socorro Waquim o órgão está praticamente desativado e as prefeituras filiadas resolveram sair do consórcio, o que inviabilizou completamente a sua existência. A entidade funciona como cabide de emprego para agasalhar pessoas que ajudaram na campanha do marido da prefeita.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!