16 de abr de 2010

Professor reclama autoria da tarifa social instituída por Castelo

O professor Lisboa (Antonio Lisboa Machado Filho), ex-candidato a vereador de São Luís pelo PTB, reclama sobre o silêncio do prefeito João Castelo (PSDB) em relação à autoria do projeto de lei que instituiu a meia-passagem aos domingos, a chamada tarifa social.

No segundo turno das eleições de 2008, o advogado Lisboa (foto abaixo), um dos 488 candidatos ao legislativo municipal de São Luís no pleito daquele ano, apresentou ao então candidato tucano o dito  projeto, entre vários outros que espera que o prefeito também acolha em sua administração.

Diz ele ter feito o mesmo com o candidato Flávio Dino, da coligação Unidade Popular (PCdob-PT).

Uma dessas propostas - na época tonificadas como promessas de campanha- seria a instituição da cobrança de meia tarifa aos domingos para assim propiciar aos menos abastados o direito de ir e vir.

A tarifa social instituída em São Luís pelo prefeito do PSDB desde seu nome próprio é inspirada em projeto quase similar pela prefeita petista de Fortaleza (Ceará), Luizianne Lins, desde junho de 2006. Inicialmente era praticada somente no último domingo do mês na capital alencarina, quando cachorro tá matando a grito os trabalhadores. Uma consulta popular realizada nos terminais de lá indicou a extensão da tarifa para todos os domingos, sendo que aos estudantes  foi assegurada a metade da tarifa, ou seja R$ 0,50.

Em São Luís, o prefeito João Castelo implantou a tarifa como compensação ao reajuste histórico de mais de 24% nos preços das passagens. Tanto para um como para outro não consultou a Câmara Municipal.  Residem nessas diferenças as administrações que se autodenominam de democráticas.





0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!