15 de abr de 2011

Galpão abandonado vira desembarque de aeroporto do Maranhão

Para quem quiser aguarda no galpão
Wilson Lima
    Um galpão da Vasp, abandonado há quase cinco anos, foi transformado na nova área de desembarque de passageiros do aeroporto Marechal Cunha Machado, em São Luís. O aeroporto foi interditado há três semanas para obras de recuperação do telhado do terminal.

Placa de escárnio dos taxistas
     No primeiro dia de funcionamento da nova área de desembarque do aeroporto de São Luís, com aproximadamente 600 metros quadrados, os monitores com informações de chegada de vôos ainda não funcionavam. Havia muita poeira no local e os trabalhadores ainda davam os últimos retoques no galpão. As esteiras de distribuição de bagagem também foram montadas às pressas no local. “Cheguei aqui e vou ter que limpar a minha bagagem por causa da grande poeira daqui”, reclamou a estudante Maria Martins, de 21 anos, de São Paulo, em sua primeira visita a São Luís.

Placa do aeroporto de São Luís ainda decorada para o Natal
     Na saída da área de desembarque havia até poças de lama e muita sujeira. “Estão fazendo essa obra de qualquer jeito. Isso destrói a imagem de São Luís”, disse o representante comercial Márcio Cantanhede, natural da capital maranhense. Após a interdição do aeroporto, a área de desembarque funcionou, durante estas três primeiras semanas, em um antigo posto de táxi, coberto apenas por uma tenda.
    O uso do galpão da Vasp foi apenas mais um dos vários improvisos já adotados no terminal de passageiros de São Luís após a sua interdição. Segundo a direção da Infraero no Maranhão, os transtornos serão temporários. Essas obras emergenciais de adaptação do aeroporto devem durar pelo menos mais dez dias. Em mais 150 dias, segundo promessa da Infraero, deve ser concluída a reforma do terminal de passageiros. A reportagem do iG lista abaixo alguns serviços que, neste momento, as pessoas não terão no aeroporto de São Luís ou estão funcionando em condições precárias.
Banheiros
Existem apenas os da antiga dependência administrativa da Infraero, na área de embarque. Ainda assim, são banheiros pequenos, com poucas pias e vasos sanitários. Na área de desembarque, no galpão da Vasp, foram disponibilizados dois banheiros químicos. Um masculino e outro feminino.
Bancos
Antes da interdição, o aeroporto tinha caixas eletrônicos de todos os bancos. Hoje, não existem caixas eletrônicos de nenhum banco. A agência bancária mais próxima do aeroporto de São Luís fica distante aproximadamente dois quilômetros do aeroporto. Isso se a pessoa for correntista da Caixa ou Bradesco. Se for correntista de outro banco, a distância entre o aeroporto e uma agência bancária é ainda maior.
Alimentação
Hoje, o aeroporto não tem mais serviços de restaurantes. Na área de embarque foram improvisados três estandes que servem como lanchonetes. Cochinhas e pastéis são servidas normalmente. Lanches mais “complexos”, como hambúrgers, também são servidos - mas demoram.
Bagagem
Após a interdição, o despacho de bagagem funcionou precariamente na saída de veículos de carga do aeroporto. Hoje, foi transferido para o galpão da Vasp. Não há climatização no local e os passageiros precisam enfrentar o calor e ter paciência para esperar por até 30 minutos sua bagagem.
Climatização
Tanto na área de embarque quanto na de desembarque os aparelhos de ar-condicionado funcionam parcialmente. Em dias mais quentes, como esta quinta-feira, quando chegou a fazer 32° em São Luís, o sistema não ajudou muito a diminuir o calor. Na área de desembarque a situação é ainda pior porque a climatização ainda não foi instalada.
Transporte
Quem chega para embarcar ou desembarcar em São Luís precisa ter um pouco de paciência. O acesso aos terminais de embarque e desembarque são feitos em fila única pela falta de espaço. Na prática, em horários de pico, taxistas e outros condutores dividem o mesmo espaço e sempre ocorrem congestionamentos no local.
Compras
Neste primeiro momento, apenas os serviços mais essenciais foram disponibilizados. Ou seja, funcionam apenas as lojas das empresas áreas, lanchonetes e uma banca de revista. Lojas de artesanato, balcões de orientações turísticas e lojas de aluguel de veículos não estão funcionando. A promessa da Infraero é que nos próximos dias esses serviços voltem a funcionar.
Passagens
Quem precisar comprar passagens em São Luís terá de usar guichês com extensão de pouco mais de dois metros que foram transferidos para um local acanhado, na extrema direita da área de check in.
Taxa de embarque
Mesmo com tantos transtornos e problemas, ela continua sendo cobrada, ainda que com desconto. Com a medida, a taxa de embarque em vôos nacionais caiu de R$ 20,66 para R$ 13,44.
Do IG

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!