26 de fev de 2011

“Meu país merece ficar livre de Khadafi”, diz líbio em Foz do Iguacu

 
Ahmad Elsharif
 - Nasci e o Khadafi já era o presidente. Hoje tenho 39 anos e ele continua castigando o meu país.
- Líbio não mata líbio. Quem esta assassinando meus irmãos são os mercenários contratados pelo presidente. Cada matador cobra dez mil dólares por dia para assassinar mulheres, e crianças...
- Deus vai me dar ás palavras certas quando o ditador cair. Não penso em mais nada! Nada! Só quero que ele saia!
- Procuro na lista de mortos o nome dos meus amigos. Pela foto não dá porque eles estão esfacelados, destruídos. Todos levaram tiros de Ar-15 na cabeça e no pescoço.
- Meu pai e minha mãe sabem que se eu estivesse na Líbia, eu estaria entre aqueles que lutam.
- Não quero morrer sem ver meu país livre, sem que meus irmãos experimentem a democracia.
- O khadafi matou 1,2 mil presos políticos e os enterrou na prisão. Deixou os corpos deles presos, castigados para sempre.
- Na infância eu não sabia o gosto do chocolate e da maça. O Khadafi não deixava esses alimentos entrar na Líbia.
As declarações são do líbio Ahmad Elsharif, 39 anos. Há 16 anos ele deixou á Líbia movido por um único desejo: ser livre. “Eu queria respirar sem sentir medo. Sem ser vigiado. Eu queria ver como era viver num país onde sonhar não é crime e nem proibido”.
De A Fronteira

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!